terça-feira, 23 de dezembro de 2014

TAG: Natal Literário!


Hey, galera! Seguindo esse clima de Natal, claro, resolvi responder à tag Natal Literário. Eu pesquisei e achei ela no blog Procurei em Sonhos, e a tag foi criada pelo grupo Postagem Coletiva Blogs Literários [PCBL]. A Cássia, do Procurei em Sonhos, também deixou eu além de responder a tag adicionar mais umas perguntas que eu tenho em mente, então, vamos lá!

A tag consiste em relacionar "símbolos" do Natal com livros, de acordo com as características desse símbolo. É bem simples e são apenas 10 perguntas pra responder.

1 - Guirlanda: O livro mais bonito da sua estante
Eu não consigo escolher o mais bonito, mas recentemente chegou a encomenda que eu fiz no Submarino e entre os livros que eu comprei está A Menina Mais Fria de Coldtown (fiz um post há uns meses falando sobre como quero ler esse livro, você pode ler clicando aqui), da Holly Black, e eu sou completamente apaixonada por essa capa!

2 - Luzes: Um livro que te trouxe novas perspectivas
Um livro que me trouxe novas expectativas foi Extraordinário. Não preciso nem falar porquê, né? A visão do Auggie sobre o mundo e o que ele aprende durante a "aventura" de ir pra escola traz novas perspectivas pra qualquer um (resenha).

3 - Bolinhas: Um livro que te deixou sensível
Tenho que admitir que Se Eu Ficar mexeu comigo. Eu chorei muito e a história da Mia, tudo  que ela tem que superar é muito trágico e me deixou... ;-; (resenha).

4 - Pinheiro: Um livro com muitos personagens
Ao invés de dizer Percy Jackson, que é uma saga bem longa e tal, eu resolvi escolher a trilogia Mundo de Tinta (resenha livro 1, livro 2 e livro 3), que além de ter muitos personagens também tem várias espécies bem diferentes.


5 - Boneco de Neve: Um livro insensível (frio)
Acho que não tenho nenhum livro insensível na minha estante, mas como tenho que escolher um, vou indicar Jogos Vorazes, porque 24 pessoas se matando numa arena pra somente uma sair viva deve ser uma atitude considerada pelo menos um pouquinho fria :)

6 - Meias: Um livro que você depositou muita expectativa
Eu depositei bastante expectativa em Ele Está de Volta, e já comentei aqui que ele foi uma decepção, pois embora eu goste do tema 2° Guerra Mundial, eu não sei muito sobre o assunto, o que não me fazia rir da maioria das piadas que Hitler contava. Não era o livro, era eu.

7 - Papai Noel: Um livro que te trouxe bons sentimentos
Deixe a Neve Cair é um livro muito leve e descontraído no clima natalino, e com certeza me fez rir e me trouxe sentimentos ótimos. Recomendo a qualquer um que queira um livro para momentos relaxantes.

Agora, eu elaborei mais 3 perguntas pra responder (sem falar que eu adorei responder essas perguntas e não quero que acabem, hehe):

8 -Anjos: um livro que te levou pra outro mundo
Talvez a pergunta seja meio clichê, mas vou superar isso com minha resposta: Harry Potter, óbvio! E tenho certeza que nem preciso explicar o porquê, né, galera?

9 - Sinos: um livro que te fez refletir
Talvez eu tenha ficado com aquele clima depressivo de ressaca literária depois de ler Recomeço, da Kat Patrick. Depois que li a última página, eu não sabia nem o que pensar. Foi
um dos melhores livros desse ano e eu já resenhei aqui no blog, você pode ler o post aqui.

10 - Presépio: um livro que te fez chorar
Tem tantos... Mas um que eu não podia deixar de falar é A Culpa é das Estrelas. Ler um livro sem saber direito da história e chorar tudo bem, agora, alagar o quarto lendo na segunda vez? Só podia ser eu. Sim, eu chorei na releitura de ACEDE, então esse é o livro perfeito pra essa questão.

Bom gente, espero que tenham gostado da tag! Eu adoro responder tags, e se você também gosta, sinta-se taggeado e pode responder no seu blog. Se for fazer isso, não esqueça de dar
os devidos créditos (dizer que foi o grupo do PCBL que criou e em qual blog você viu) e deixar aí embaixo um comentário que eu vou adorar ver suas respostas! Até mais, e feliz Natal <3

*Todas as fotos desse post, excetuando a apresentação da tag, foram tiradas por mim (algumas foram postadas no meu Instagram, @lubsmrsweasley), então evite o plágio. Obrigada

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Cinema: A Arte da Conquista

Ficha técnica:

Lançamento: 24 de agosto de 2012 (1h23min)
Dirigido por: Gavin Wiesen
Elenco principal: 
Freddie Highmore (George Zinavoy), Emma Roberts (Sally Howe), Michael Angarano (Dustin), Blair Underwood (Diretor Bill Martinson)
Gênero: Romance, drama
Nacionalidade: EUA


George Zinavoy é o personagem principal dessa trama, e é do tipo que vive se perguntando o sentido da vida. Não quer viver de ilusão como acredita que os outros fazem, e seguindo essa espécie de lei, ele menospreza a monotonia da escola e das tarefas, sendo capaz de acumular uma pilha de deveres de casa que resume todo seu ano escolar. Passa as aulas desenhando e, depois de uma ida à quadra de basquete para fumar, conhece Sally Howe. Ela é linda, diferente e sabe aproveitar a vida, sendo ao mesmo tempo parecida com George. Assim, forma-se uma amizade que faz George ter novos sentimentos, novas coisas para pensar, e a conhecer novas pessoas, incluindo um pintor chamado Dustin, apresentado pelo professor de arte, que passa de amigo e figura inspiratória de George para integrante de um inesperado triângulo amoroso.

Gente, eu não fazia ideia do que estava sentindo quando os créditos começaram a subir. Eu sabia que tinha gostado, isso ficou claro para mim, mas esse filme mexeu comigo de alguma forma que eu ainda não consigo explicar. Ele joga tantas verdades na nossa cara e eu o amei por isso, mas também não pude deixar de gostar quando ele contornava verdades ruins para ilusões muito mais satisfatórias e mais fáceis de conviver. Por exemplo: todos sabemos que vamos morrer. Mas é diferente quando alguém repete em voz alta, e isso com certeza faz com que você tenha uma série de pensamentos e emoções diferentes do que você está
acostumado a ter até esquecer que alguém jogou isso na sua cara. E George aprende a conviver com essa ideia e a viver em cima dela, portanto é diferente para ele quando alguém diz para aproveitar a vida, já que pra ele o importante é estar ciente sobre a morte. Por algumas razões desse tipo eu me identifiquei diversas vezes com o personagem, mas quem não consegue se identificar um pouco com a Sally também? É ela a nova luz da vida do George, mostrando o mundo de uma forma diferente: ela apresenta pra ele sua forma de enxergar a vida, com direito às festas, aos amigos loucos e às futilidades de qualquer humano, e os dois se completam, ele sendo mais o preto e o branco, enquanto ela é cinza e ao mesmo tempo o arco íris inteiro.

Claro que teria romance. Posso dizer que gostei, só não esperava a parte do triângulo amoroso, e acho que se não tivesse a parte do Dustin o filme seria menos do que foi. Isso deu uma certa virada na história, e mexeu completamente com as emoções do George, e da Sally também, mas principalmente as dele, já que ele ainda não tinha acessado esse novo mundo de sentimentos e paixões, e sendo um território desconhecido, ele ficou sem saer o que fazer. Ainda teve a parte familiar, que é complicada para os dois lados: a falta de responsabilidade dos pais de George em relação ao trabalho e a falta de responsabilidade da mãe de Sally, que só sabia trazer novos namorados para casa toda semana. Foi um pacote cheio de clichês, na verdade, mas que soube explorá-los, e eu adorei. Recomendo com muito prazer :)

Dessa vez há apenas um fato que não considero necessariamente uma curiosidade: o nome do filme originalmente seria Home Work (Dever de Casa), e alguns cartazes chegaram a ser divulgados nos EUA com esse título, mas logo depois mudaram para
The Art of Getting By. Eu acho a ideia de o nome ser Home Work boa, já que tem tudo a ver com o filme, mas gosto dos dois, então The Art of Getting By também ficou legal, embora não tenha tanto a ver com a história.


Trailer:



Espero que tenham gostado do post. Até mais :*

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Última meta literária do ano!


E aí, galera! Como estão as expectativas para o Natal? As minhas estão bem altas, tanto para o Natal quanto para o Ano Novo e para 2015, que promete pra mim (sério). Eu amo o Natal, é sem dúvida uma das melhores épocas do ano, só odeio esse clima nostálgico de fim de ano. As pessoas ficam falando de uma nova vida no ano que vem, um novo começo, ficam recapitulando todos os seus passos e chorando pelo que deixaram de fazer, e eu simplesmente odeio isso, e a única coisa que me alegra são as expectativas para o Natal, o dia 24 com a ceia e a família, a celebração do aniversário de Jesus (pra quem acredita que Natal é só comida e presentes, não que eu vá dar uma aula de religião aqui, mas fala sério), e a entrega dos presentes, que não deixa de ser uma parte muito legal da festa <3
Bom, pensando que o ano está acabando, estabeleci uma última meta literária para fechar 2014 com chave de ouro sem sentir que deixei a desejar no quesito leitura. Os livros que eu quero ler até a meia-noite do dia 31 de dezembro são, nessa ordem:

  • Cidade do Fogo Celestial, por Cassandra Clare
  • Os Contos de Beedle, o Bardo, por J.K. Rowling
  • Para Onde Ela Foi, por Gayle Forman
Claro que há alguns parênteses: Na verdade é terminar Cidade do Fogo Celestial, que eu comecei há pouco mais de uma semana, e eu quero resenhar Para Onde Ela Foi ainda esse ano. Não vou resenhar Os Contos de Beedle, O Bardo ainda porque quero fazer um post unboxing com todos os livros da Biblioteca de Hogwarts (os Contos, Quadribol Através dos Séculos e Animais Fantásticos e Onde Habitam), aí fica mais prático de escrever e para os leitores também.

Era pra ser um post curtinho mesmo. Espero que tenham gostado da minha meta e comentem aí se vocês tem alguma última meta para terminar 2014 em dia com suas leituras! Até mais :*

Resenha: Terra de Histórias: O Feitiço do Desejo


Título: Terra de Histórias: O Feitiço do Desejo

Autor: Chris Colfer

Editora: Benvirá


Páginas: 384

Estrelas: 4 estrelas


"Terra de Histórias"
é o primeiro livro escrito pelo ator de Glee Chris Colfer, e é uma fantasia infantojuvenil que eu tive o prazer de ler (obrigada por me emprestar, Alycia!). Conta a história de Alex e Conner Baylei, gêmeos que estão passando por um momento delicado. Tristes na maior parte dos dias que passam, a avó dos irmãos resolve dar-lhes um presente especial no aniversário de 12 anos:
o antigo livro de histórias que o pai costumava ler para eles, quando crianças, antes de dormir. Voltando a ter sorrisos estampados no rosto de cada um, eles descobrem algo que pode deixá-los ainda mais maravilhados - ou assustados - com o presente da avó: o fato de o livro sugar Alex e Conner para dentro de seu mundo fantástico, o mundo dos Contos de Fada após o "felizes para sempre". Embora tudo seja mágico - que criança não sonha em conhecer a Cinderela ou a Chapeuzinho Vermelho? - os gêmeos não veem a hora de voltar para casa, e para isso terão que enfrentar os perigos de um mundo desconhecido e de uma Rainha Diabólica que está disposta a fazer de tudo para voltar ao mundo real antes que eles tenham chance.

"Nunca conheci uma pessoa com a qual não pudesse aprender alguma coisa - afirmou - Mesmo a pessoa mais monótona do mundo é capaz de nos surpreender. Lembrem-se sempre disso."
Nossa, galera, que livro mágico! Eu nunca tinha ouvido falar que o Chris Colfer também tinha talento para a escrita. Não olho Glee, mas sou fã dele por causa da sua imaginação na hora de escrever. Recomendo esse livro pra quem está afim de uma fantasia diferente e leve. É o primeiro livro de uma trilogia, cujo segundo livro, Terra de Histórias: O Retorno da Feiticeira foi publicado aqui no Brasil esse ano, também pela editora Benvirá, e a previsão de
lançamento para o último livro, The Land of Stories: A Grimm Warning, é 2015. Todos seguem o mesmo padrão de capa, que é originalmente americana, e eu acho as capas maravilhosas. Tem vários detalhes relacionados ao livro, como o lobo de "Os três porquinhos" e "Chapeuzinho Vermelho" ali no canto, as duas fadinhas segurando o sapato da Cinderela e etc. Gosto de capas que tem significado, ainda mais quando tem uma arte linda como essa. Sem falar que o livro que a Vovó Baylei dá para os gêmeos é chamado "Terra de Histórias" e é descrito como sendo verde com o título no topo em letras douradas *0*
"Você só acha que a sua vida está boa , quando está dentro de um livro de contos de fadas, em que tudo é possível e nada é impossível."
Eu ia dar 5 estrelas para o livro, mas pensei melhor e resolvi tirar uma. Por quê? Pensando bem, percebi que como qualquer livro ele tem defeitos, e um deles é algo que me incomoda, que é a previsibilidade. Não que seja assim o livro todo, tem várias coisas que me surpreendem como a condição atual de alguns dos personagens do contos de fadas, mas no final você resolve o mistério antes dos personagens e isso tira um pouco a graça do desfecho, já que você fica esperando que eles finalmente "concluam o óbvio". Sem falar que por ser infantojuvenil tem alguns aspectos mais bobinhos. Porém, não deixa de ser um livro maravilhoso, que já inspira na primeira frase, escrita pelo C.S. Lewis (As Crônicas de Nárnia): "Um dia, você terá idade suficiente para começar a ler contos de fadas outra vez". Não tem como não criar expectativas. Mas eu ainda recomendo ele para qualquer um que quiser relaxar com um livro diferente na mão.
"Não tinham escolha. Os irmãos Bailey estavam prestes a embarcar na mais formidável caça ao tesouro de suas vidas."
Espero que tenham gostado do post. Eu sei que não tenho cumprido com minhas promessas de post, como o de filmes na segunda-feira e um relacionado a livros ao longo da semana, mas agora vou voltar a rotina, e já estou com vários posts prontos para ir publicando ao longo de Dezembro, sem falar nas novidades que estou preparando. Aguardem, que se tudo der certo vamos começar 2015 de cara nova! Até mais :*

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Cinema: 10 coisas que eu odeio em você

Ficha Técnica:

Lançamento: 6 de agosto de 1999 (1h37min)
Dirigido por: Gil Junger
Elenco Principal: Heath Ledger (Patrick Verona), Julia Stiles (Katarina Stratford), Larisa Oleynik (Bianca Stratford) e Joseph Gordon-Levitt (Cameron James)
Gênero: Comédia, romance
Nacionalidade: EUA

As irmãs Stratford são super populares na escola por serem proibidas pelo pai de namorar. Mas as duas são conhecidas também por sua personalidade: a mais nova, Bianca, por ser atraente e inteligente, conseguindo chamar a atenção de diversos rapazes, e Katarina (ou Kat), por ser uma completa megera e não ter amigo nenhum. Agora, Bianca quer arranjar um namorado, e após muito insistir, convence seu pai a mudar a regra, só que para pior: a mais nova pode namorar, contanto que Kat arrume um namorado também. Bianca não vê como isso funcionará, mas Cameron, um garoto completamente apaixonado por ela, resolve arrumar um namorado para Kat, e "contrata" o único que teria coragem para isso: Patrick Verona, um garoto misterioso que todos alegam ser delinquente, espalhando boatos como "ele passou um ano preso" ou "comeu um pato inteiro enquanto estava vivo". Ninguém sabe se é verdade ou não.


Não lembro se já falei isso pra vocês, mas eu sou completamente apaixonada por filmes adolescentes dos anos 80, 90 e antigos no geral. Eram muito mais legais, sem ter uma história apelativa, e não tendo aquela afronta à nossa inteligência se é que vocês me

entendem. 10 things i hate about you foi uma experiência muito bacana, e era exatamente o tipo de filme que eu estava com vontade de ver quando iniciei a sessão no Netflix. Claro, a história é meio clichê e meio previsível, mas isso não tira a essência do filme e a atuação dos atores compensa, com certeza. Não posso negar que achei o Heath Ledger absurdamente gato em 1999 (continuaria sendo bonito até hoje), e depois de pesquisar umas fotos atuais do Joseph Gordon-Levitt, tenho que dizer que ele melhorou MUITO. Enfim, o post é sobre o filme, né? Tá, tá, não esqueci.

Acho que esse filme é um clássico das comédias românticas teen, e não tiro a razão. Claro, é muito mais romance que comédia, mas toda hora eu ria com alguma fala ou alguma cena, principalmente quando aparecia o professor deles, que já ganhava minha risada só com suas expressões faciais. Reuni  4 curiosidades pra vocês:

  1. Heath Ledger ganhou de Josh Hartnett e Ashton Kutcher e foi escalado como Patrick.
  2. Apesar de representar a irmã mais velha, Julia Stiles tem apenas 3 meses a mais do que a atriz Larisa Oleynik.
  3. Larisa Oleynik e Joseph Gordon-Levitt, que em 10 Coisas Que Eu Odeio em Você fazem o casal Bianca e Cameron, também faziam um casal de namorados na série da TV americana "Third Rock From the Sun", quando o filme foi rodado.
  4. Vários nomes usados no filme fazem referência à história original Shakesperiana. O sobrenome de Bianca e Kat é "Stratford" (Shakespere nasceu em Stratford-upon-Avon). O sobrenome de Patric é Verona (cidade onde nasceu Petruchio, personagem correspondente da peça). A escola onde estudam os personagens do filme chama-se Padua, que é o mesmo nome da cidade onde se passa a "A Megera Domada" original.
Trailer (legendado):

Bom, espero que tenham gostado do post! Era isso, até mais :*

sábado, 29 de novembro de 2014

Resenha: Derby Girl


Título: Derby Girl (Whip It)

Autora: Shauna Cross

Editora: Galera Record


Páginas: 238


Estrelas
: 5 estrelas



O livro Derby Girl
é centrado na "história de vida" de Bliss Cavendar, uma garota de 16 anos completamente insatisfeita com
tudo que há na sua volta, e em especial a cidade em que vive, Bodeen, Texas. Pra ela a cidade de Bodeen não deveria ser um lugar onde as pessoas moram, apenas um centro de visitação ou algo do tipo, e por isso ela não aguenta mais viver ali. Para piorar, ela ainda tem diversas "provas" diárias: ter que encarar a mãe, Brooke, todos os dias e ouvir sobre sua louca obsessão com concursos de beleza, ser obrigada a aturar gente que odeia em sua escola e, pra fechar com chave de ouro, ter de ir a pior emprego do mundo pra ela: o Oink Joint. Mas Bliss nunca pensou que tudo isso mudaria com uma ida à Austin, a cidade vizinha, que fica há mais ou menos uma hora de Bodeen. Quando Brooke decide ir comprar roupas de concurso para a filha mais nova, Shania (ou Sweet Pea, como é chamada pela personagem principal), Bliss vai junto e em uma loja pega um folheto sobre uma competição de Roller Derby, um esporte radical e feminino que envolve patins, velocidade, arranhões e força. A garota não perde tempo: começa a treinar com seus patins da Barbie para entrar num time de Derby, ignorando por completo a regra que diz que apenas maiores de 18 podem participar e ainda fazendo tudo apenas com o consentimento de Pash Amini, sua melhor amiga.
"E meu lema é: quanto menos Brooke na minha vida, melhor."
Eu fui conquistada por esse livro desde as primeiras páginas, e um dos motivos é: a Bliss é MUITO irônica, o torna a escrita da autora extremamente engraçada. Eu dava cada risada lendo esse livro, que as minhas professoras devem ter ficado irritadas com minha presença na sala de aula delas. Mas eu não parei por causa disso. Realmente gostei da escrita da Shauna Cross, e me identificava com a Bliss em mais momentos do que esperava. Uma das coisas legais desse livro é as várias referências ao rock, tanto bandas quanto músicas, e eu adoro livros com referências musicais, principalmente quando são do meu gênero preferido. Na verdade, gostei do estilo da Bliss no geral, desde o cabelo azul até a camiseta de brechó do Stryper que ela usa em dias tristes para se animar.
"Gentilmente enfie sua bunda e calcinha-tamanho-band-aid de volta em seu jeans-apertado-demais, e não seremos forçadas a vomitar em você."
Eu vi muita gente criticando o livro por ter achado uma história clichê, mas eu nunca tive contato com uma história assim, relacionada a um esporte, então achei diferente e confesso que gostei da experiência. Sem falar que não é um livro que foca apenas no romance, e por mais que eu goste d uma história de amor, eu também curto livros que tem como centro da história algo diferente, e colocar Roller Derby aí foi muito legal. No começo, pode ser meio difícil de entender como funciona o esporte, mas eu não tive dificuldades, até porquê depois que comecei a ler o livro me toquei que já tinha visto o filme. Eu nem lembrava direito que tinha filme, mas depois que a Bliss começou a colocar a ideia de praticar Derby na cabeça eu lembrei. Não sabia da história porque tinha visto o filme há bastante tempo, mas agora que já li, estou doida pra ver de novo as Hurl Scouts na pista. Infelizmente, não achei o filme no Netflix e na internet não achei legendado, então ainda estou sofrendo por causa disso, mas vou superar e encontrar uma maneira.
"De repente me pergunto o que mais posso ter dentro de mim que foi reprimido por anos e anos participando de concursos de beleza."
Bom, adorei esse livro e tenho certeza que li no momento certo. Claro, se você está procurando uma história com grande lição de vida e sentido para a humanidade, eu sugiro deixar esse livro de lado por um tempo, mas se está procurando um livro mais descontraído pra deixar o tédio de domingo no fundo do armário, coloque Derby Girl no topo da lista de opções! Espero que tenham gostado da resenha e até mais :*
"Se o punk-rock fosse um esporte organizado por garotas rudes sobre patins, o resultado seria Roller Derby."

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Eu Indico: Serendipity!

Hey, unicórnios! Tudo bem com vocês? Hoje, enquanto olhava o Blog Serendipity, fiquei inspirada e resolvi fazer um Eu Indico sobre ele! Vamos lá?

Bom, a criadora disso tudo é a Melina Souza: ela é de Curitiba, e tem 26 anos (6 de agosto de 1988). Todos chamamos ela apenas de Mel, e ela se tornou uma das minhas blogueiras preferidas em pouco tempo! O melhor de tudo é a frequência dos posts no Serendipity: quando ela está no Brasil, é normal ter um post novo todo dia! Eu gosto de entrar num blog quando estou afim de saber sobre coisas novas, chegar lá e ter essas coisas, então só esse fato já contribuiu muito para eu me apegar ao Serendipity. Outro ponto a favor é que eu definitivamente adoro a escrita da Mel e nem sei direito o porquê: se é por causa do jeito descontraído que ela faz os posts ou alguma outra coisa. Adoro o jeito como ela escreve e pronto, simples assim!
Agora, se vocês curtem fotografia, sério, esse é o lugar perfeito. A Mel é uma apaixonada por câmeras e as fotos dela são maravilhosas, e olha que ela nunca fez nenhum curso e ainda sim faz trabalhos nessa área, pra mostrar que ela realmente tem talento! Eu sou uma pessoa que curte bastante essa coisa de fotografar e tudo o mais, mas ainda tenho muito o que aprender, né? :p E, pra quem quiser saber, o Serendipity foi criado em 2010.

"E sobre o canal?" vocês me perguntam. Não sei se já comentei isso, mas a maioria dos blogs que eu acompanho eu só conheço por causa dos canais no Youtube. Não que eu prefira só ver vídeos do que ler os posts: eu prefiro "conhecer" a pessoa primeiro vendo ela, o jeito, o jeito de falar e essas coisas. Até porque é difícil achar blogs legais pesquisando na aba do Google. O Youtube torna até isso mais fácil <3 Bom, o canal da Mel não se chama Serendipity: só Melina Souza mesmo, e ela faz vídeos com o mesmo conteúdo dos posts no blog, mas a maioria dos vídeos é sobre livros, enquanto no blog ela varia um pouco mais. Pra quem não conhece, a Mel é completamente apaixonada pela Terra da Rainha, ou seja, Londres. Na primeira vez que ela foi pra lá, foi para fazer intercâmbio, e de quebra ela conheceu Paris também invejinha branca!. Agora, ela voltou pra Londres para ficar por lá durante um mês (ela viajou no comecinho de novembro e volta dia 3 de dezembro), e nesse um mês, ela está postando Vlondons no canal (primeiro Vlondon), que são os diários de viagem dela. Eu adoro diários de viagem, porque se tudo der certo eu vou viajar muito quando crescer.  Claro, como todos que tem um blog e um canal, ela faz post no blog avisando sobre os vídeos novos. Nem me perguntem quando ela criou o canal, porque isso eu não sei dizer ;)

Agora, dois videozinhos pra vocês:





No primeiro vídeo, o homem ao lado da Mel é o irmão mais novo dela (sem perguntas!). Antigamente ele fazia alguns vídeos com ela, como essas tags e book hauls, mas agora ele (finalmente!) resolveu criar o próprio canal (clique aqui). O nome dele é Gui :3

No segundo vídeo a Mel apenas convidou alguns amigos para participar, incluindo ninguém menos que Babi Dewet, a escritora de Sábado à Noite! Eu escolhi esses dois vídeos porque eles são dois dos muitos vídeos que eu adorei e dei risada. Espero que gostem! Se quiserem saber um pouco mais sobre a Mel com as palavras dela própria, cliquem aqui. Até mais :*


Redes sociais de Melina Souza:  Instagram ❤ Twitter ❤ Facebook ❤ Bloglovin’ ❤ Pinterest ❤ Tumblr ❤ Goodreads ❤ Flickr

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Cinema: Mockingjay - Parte 1


Olá, unicórnios! Depois de tanto merchandising pra esse filme, ele finalmente estreou nos cinemas do Brasil e eu não perdi a oportunidade: ontem mesmo eu fui ver e ainda estou abalada emocionalmente se é que vocês me entendem. Com certeza A Esperança - Parte 1 foi um dos melhores filmes ever! Esse post contém spoilers pra quem não leu o livro.

Bom, ao invés de fazer um post mais formal como eu normalmente faço sobre os filmes, esse post vai ser mais descontraído, até porquê todos sabemos quando foi lançado, o elenco e etc, né? Tenho certeza que sim! Já no começo do filme eu fiquei toda arrepiada, mesmo começando diferente do livro: enquanto o livro inicia com Katniss no que restou d Distrito 12, no filme ela está o Distrito 13, repetindo a famosa frase para não perder a sanidade: "Meu nome é Katniss Everdeen, tenho 17 anos...", enfim, com certeza vocês conhecem o resto. A parte da personagem no seu distrito acontece logo depois. Eu não vi problemas, já que muitos dos espectadores não leram o livro e provavelmente ficariam meio desorientado com o começo original. Eu acho que eles fizeram isso algumas vezes: inverter a ordem de alguns acontecimentos, mas eu não vi problema algum, já que li o livro no ano passado e ao longo do tempo esqueci de detalhes.

Eu, ao contrário de muita gente, não chorei em nenhum momento porque é realmente difícil eu chorar assistindo um filme, mas toda hora eu ficava arrepiada. Sério, esse filme foi muito
emocionante e marcante pra mim, e de vez em quando eu me pegava mordendo os lábios de aflição. Um dos maiores motivos que me levou a fazer isso foi a atuação do Josh Hutcherson. O que foi aquilo? Eu normalmente não imagino o Josh fazendo o papel de alguém perturbado, em conflito com si mesmo, só fazendo papéis fofinhos, ou um Peeta fofinho. Mas até nas entrevistas da Capital em que ele estava com boa aparência eu via a diferença entre o Peeta "normal" e o Peeta corrompido pela Capital. As melhores cenas com ele foi, na minha opinião, quando a Katniss vê ele depois de o terem resgatado, porque nós vemos a dor nos olhos dele e eu quase chorei, e na sua última aparição, porque é muito diferente imaginar alguém telessequestrado e ver alguém nesse estado no cinema, até porque eu não imaginei o rosto dele daquele jeito e eu não pensava nele magro daquele jeito, o que eu achei muito bom para dar mais ênfase à tortura que ele sofreu. E, uma das partes que eu mais amei, mas que não tem nada de Peeta, é a Katniss cantando Árvore-forca. Era uma das cenas que eu mais estava esperando e gente: muito amor.


Claro, como todo filme tem seus pontos negativos, por mais que esses sejam em pequenos e não tenham atrapalhado a minha experiência, eu vou comentar eles aqui. A primeira coisa é que eu não entendi porquê simplesmente tiraram a Enobaria da cena em que ela deveria aparecer. Ok, ela não é uma personagem importante vamos combinar e não faz diferença,

mas eu não deixei de notar isso. Não é uma reclamação também, mas tenho certeza de que muita gente percebeu. E a outra coisa é que eu acho que no livro a amizade da Katniss e do Finnick é muito mais profunda, eles estão sempre conversando um com o outro porque se entendem melhor do que ninguém: Finnick está sofrendo pela Annie, e a Katniss pelo Peeta, então quem melhor pra conversar sobre o que estão sentindo senão um ao outro? Acho que no filme faltou um pouco dessa relação que eles criam no livro. Ainda assim, foi um filme maravilhoso, as cenas foram super em produzidas, a Jennifer Lawrence não deixou a desejar como Katniss assim como nenhum dos atores deixaram a desejas para seus papéis. Não vou contar em que momento o filme acaba porque tenho certeza que tira toda a graça!


Pra finalizar, uma dica pra vocês: não saiam antes de os créditos acabarem! Esperem até o final porque com certeza vale MUITO a pena! Até mais :*



segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Cinema: O Verão da Minha Vida

Ficha técnica:
Lançamento: 23 de outubro de 2013 (1h43min)
Dirigido por: Nat Faxon e Jim Rash
Elenco Principal: Liam James (Duncan), AnnaSophia Robb (Susanna), Sam Rockwell (Owen), Toni Collete (Pam) e Steve Carell (Trent).
Gênero: Comédia dramática
Nacionalidade: EUA

No filme O Verão da Minha Vida vamos acompanhar as férias obviamente de verão de Duncan, um garoto meio solitário que mora com a mãe e não suporta o namorado dela: um sentimento recíproco. Na casa de praia em que eles vão passar o verão, Duncan sente-se ainda mais menosprezado pelo "padrasto"e até pela própria mãe, considerando que eles só pensam em se juntar com um casal de amigos irritantes. Assim, o garoto mata o tempo passeando de bicicleta pela cidade, e é em uma dessas pedaladas que ele conhece Owen, um cara descolado que é gerente do parque aquático local. Logo logo Duncan se aproxima de Owen, que arruma um emprego no próprio parque para ele. Duncan nunca pensou que um trabalho faria daquele verão um dos melhores de todos.

Ownt, eu adorei esse filme! Vi ele há quase um mês com minha mãe no Netflix e acabei esquecendo de fazer um post sobre ele. Era exatamente o filme que eu queria assistir no momento: leve e descontraído, pra quando você quer relaxar assistindo algo acana, mas não sem graça. Eu já conhecia a AnnaSophia e adoro ela, mas eu nunca tinha ouvido falar do Liam James, e é uma pena que ele não seja mais famoso. Depois de dar uma pesquisada, fiquei sabendo que ele atuou em 2012 e Aliens vs Predador, dois filmes que pretendo adicionar na minha lista! Voltando sobre o filme: vendo umas críticas, descobri que muita gente achou O Verão da Minha Vida ruim, mas eu recomendo, okay? Sem falar que é um filme atual, acho que esteve até num cinema aqui de Porto Alegre, e eu nunca tinha ouvido falar! Agora, 4 curiosidades pra vocês:

  1. O Verão da Minha Vida é o primeiro longa-metragem dirigido por Nat Faxon e Jim Rash.
  2. O diretor e roteirista Jim Rash afirmou que a cena inicial de O Verão da Minha Vida foi inspirada em uma conversa que teve com o seu próprio padrasto aos 14 anos de idade.
  3. Originalmente, o filme seria ambientado em 1984. A mudança para o tempo atual foi realizada por motivos de orçamento.
  4. Inicialmente, Steve Carell não aceitou participar do produção, pois as filmagens ocorreriam durante as férias da sua família. Ele só entrou no projeto após descobrir que as gravações seriam realizadas em um local próximo à sua casa de verão.

Trailer (legendado, aleluia!):



Era isso, até mais :*


sábado, 15 de novembro de 2014

Resenha: Contos de Andersen


Hey, unicórnios! Esse post não é exatamente uma resenha, porquê o livro Contos de Andersen é um livro de contos e que todo mundo já conhece: estou fazendo isso só pra mostrar o quanto achei essa edição da biblioteca da minha escola LINDA!

Essa edição de 105 páginas escrita pela ilustradora Lisbeth Zwerger reúne os seus contos preferidos do escritor e poeta Hans Christian Andersen (1805 - 1875): O Homem da Areia; Os Saltadores; A Pequena Polegar; O Estojo de Pederneira; O Regimento da Roseira; O Menino Malvado; O Porqueiro; As Roupas Novas do Imperador; A Princesa e a Ervilha; O Rouxinol e A Menininha dos Fósforos.
 

Eu já conhecia várias dessas histórias, mas entre as desconhecidas, amei O Estojo de Pederneira, O Porqueiro e O Rouxinol. Confesso a única que eu não gostei mesmo foi O Homem da Areia, porquê achei bem sem graça. A ilustração da capa do livro e desse conto. Mas, entre todas elas, a minha preferida é A Menininha dos Fósforos: todas as vezes que eu leio essa história eu choro ou fico com vontade, porque, fala sério! Quem já leu com certeza sabe do que estou falando. É a última história do livro, e ocupa só duas páginas, mas foi nessas duas páginas que eu mais me emocionei. Bom, eu tirei fotos de várias das minhas ilustrações preferidas: a Lisbeth tem um talento nato! Quem me dera desenhar assim :/
A Pequena Polegar <3
O Estojo de Pederneira
O Regimento da Roseira (Dá pra ver que esta sendo um sacrifício segurar o livro? Não? Ops :P)
O final do conto O Porqueiro
Ilustração do conto O Rouxinol
A Menininha dos Fósforos
Sei que faz um tempinho que não posto resenha, mas se acalmem! Prometo que vou fazer uma resenha em breve :) Espero que tenham gostado do post e das fotos, já que minha câmera é uma normalzinha mesmo e eu não sou profissional. Até mais :*

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Tá dando o que falar: primeiro teaser trailer de Insurgente!

Hello, guys! Já voltei para falar sobre o que todo mundo tá falando: o teaser trailer de Insurgente!

Essa belezura aí em cima é o "teaser pôster" nem sabia que esse termo existia que saiu logo depois do teaser oficial do filme. Eu lembro como se fosse ontem que eu postei sobre o pôster de Divergente! E, sem mais delongas, o teaser:



Até eu fiquei arrepiada, pena que não vi nem o primeiro e não vou ver o segundo até ler os livros! Desculpe, mas eu nunca vou deixar de ser assim. Até porque as adaptações no geral distorcem a versão do livro, não é mesmo? Vocês, leitores, tenho certeza que me entendem! Bom, foi um post em curtinho só pra eu não deixar essa novidade escapar, e eu sei como tem fãs da trilogia que vão gostar de ver isso. Até mais :*

terça-feira, 11 de novembro de 2014

People's Choice Awards

Oi, galera!! Sentiram minha falta? Desculpem o pequeno atraso para o post dos filmes: cheguei de viagem domingo, segunda fiquei resolvendo as coisas que estavam atrasadas para a escola e etc e acabei não postando! Mas agora estou de volta e, ao invés de falar sobre filmes, resolvi fazer esse post sobre o People's Choice Awards, que já abrange o tema de segunda-feira e mais dois assuntos que eu abordo aqui no log: séries e música!
Pra quem nunca ouviu falar dessa premiação (coisa que eu acho particularmente difícil, a não ser que o indivíduo viva embaixo de uma pedra), aqui vai uma pequena descrição vinda direta da Wikipédia: "People's Choice Awards é uma premiação que reconhece as pessoas, músicas e séries da cultura popular. Foi criada pelo produtor Bob Stivers e é exibida desde 1975 pela CBS. A premiação é atualmente produzida pela empresa de higiene Procter & Gamble e decidida por votação online."

Todo ano eu voto no PCA, e eu confesso que adoro olhar premiações! Norasil, o PCA é transmitido ao vivo pelo canal TNT (não tenho certeza absoluta, mas se eu estiver errada eu edito o post pra vocês não perderem). Eu já votei em todas as categorias, e confesso que em algumas eu votei em mais de uma "coisa". Se vocês quiserem que eu fale em quem eu votei, podem pedir nos comentários que eu faço outro post pra contar!

As categorias do PCA são:

TV:
  • Favorite TV Show
  • Favorite Network TV Comedy
  • Favorite Comedic TV Actor
  • Favorite Comedic TV Actress
  • Favorite Network TV Drama
  • Favorite Dramatic TV Actor
  • Favorite Dramatic TV Actress
  • Favorite Cable TV Comedy
  • Favorite Cable TV Drama
  • Favorite Cable TV Actor
  • Favorite Cable TV Actress
  • Favorite Crime Drama TV Actor
  • Favorite Crime Drama TV Actress
  • Favorite Network Sci-Fi/Fantasy TV Show
  • Favorite Cable Sci-Fi/Fantasy TV Show
  • Favorite Sci-Fi/Fantasy TV Actor
  • Favorite Sci-Fi/Fantasy TV Actress
  • Favorite Competition TV Show
  • Favorite Daytime TV Host(s)
  • Favorite Late Night Talk Show Host
  • Favorite Dramedy 
  • Favorite TV Icon
  • Favorite TV Duo
  • Favorite TV Character We Miss Most
  • Favorite Actor In A New TV Series
  • Favorite Actress In A New TV Series
  • Favorite Sketch Comedy TV Show
  • Favorite Animated TV Show
  • Favorite New TV Comedy
  • Favorite New TV Drama 
MOVIES (FILMES):
  • Favorite Movie
  • Favorite Movie Actor
  • Favorite Movie Actress
  • Favorite Movie Duo
  • Favorite Action Movie
  • Favorite Action Movie Actor
  • Favorite Action Movie Actress
  • Favorite Comedic Movie
  • Favorite Comedic Movie Actor
  • Favorite Comedic Movie Actress
  • Favorite Dramatic Movie
  • Favorite Dramatic Movie Actor
  • Favorite Dramatic Movie Actress
  • Favorite Family Movie
  • Favorite Thriller Movie
MUSIC (MÚSICA):
  • Favorite Male Artist
  • Favorite Female Artist
  • Favorite Group
  • Favorite Breakout Artist
  • Favorite Male Country Artist
  • Favorite Female Country Artist
  • Favorite Country Group
  • Favorite Pop Artist
  • Favorite Hip-Hop Artist
  • Favorite R&B Artist
  • Favorite Album
  • Favorite Song

Bom, essas são todas as categorias. Só pra constar: a única coisa que não está na ordem é que primeiro vem Filmes, depois TV e por último Música.

Espero que tenham gostado do post! Deixem um comentário e, novamente: se quiserem saber em quem eu votei, é só pedir! Beijos e até mais :*

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Cinema: Horror em Amityville (2005)

Ficha Técnica:

Lançamento: 15 de agosto de 2005 (1h30min)
Dirigido por: Andrew Douglas

Elenco Principal: Ryan Reynolds (George Lutz), Melissa George (Kathy Lutz), Chlöe Grace Moretz (Chelsea Lutz), Jesse James (Billy Lutz) e Jimmy Bennet (Michael Lutz)
Gênero: Terror
Nacionalidade: EUA


O filme Horror em Amytiville foi lançado originalmente em 1979, baseado no livro com mesmo nome escrito por Jay Anson e publicado em 1977.

A família Lutz acaa de se mudar para uma mansão com ótimo preço: a casa dos seus sonhos. O casal, George e Kathy Lutz, são os únicos da família que sabem sobre um assassinato brutal que ocorreu ali um ano antes: Ronald DeFeo Jr assassinou toda a sua família enquanto eles dormiam, alegando para a polícia que vozes estranhas vinham da casa persuadindo-o a cometer o crime. Agora, são os Lutz que estão sendo assombrados por fantasmas do passado, principalmente George. Será que o mesmo que aconteceu à família Defeo acontecerá com os Lutz?

Ainda no clima de Halloween, nessa segunda-feira quis vir aqui falar com vocês sore ofilme Horror em Amityville. Sim, eu também não sei como assisti esse filme até o final, cagona medrosa do jeito que sou! Mas reuni coragem e consegui, na companhia de minha irmã e do meu pai (óbvio!). Confesso que ADOREI! Por mais que eu tenha medo, eu gosto do gênero terror/suspense. Achei a história muito legal, e levei mais sustos do que gostaria. Quem gosta de um terror mesmo pode não gostar, porque não é o filme mais assustador do mundo, mas a história também é muito bacana, e eu não me arrependo de ter olhado (mesmo tendo um pouco de dificuldade para dormir depois '-').

Achei também curiosidades sobre esse filme, então:


  1. Horror em Amityville foi o último filme produzido pela Metro-Goldwyn-Mayer com este nome, já que logo após seu lançamento o estúdio foi comprado pela Sony Pictures Entertainment.
  2. Horror em Amityville marca a estreia de Chloë Grace Moretz no cinema. A jovem atriz se especializou, desde então, em produções fantásticas e de terror, como Carrie - A Estranha (2013).
  3. Megan Fox fez testes de elenco para o papel de Lisa, mas os produtores preferiram a atriz Rachel Nichols.
  4. Além de uma indicação ao prêmio de melhor trailer de terror em 2005 no Golden Trailer Awards, Horror em Amityville foi indicado em diversas premiações para o público jovem, como o MTV Movie Awards, o Teen Choice Awards e o Young Artist Awards, entre 2005 e 2006.

Trailer (e por incrível que pareça, as legendas do Youtube estão perfeitas!):




Bom gente, espero que tenham gostado. Até mais :*

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

[Especial Halloween] Livros que eu quero ler

Olá, unicórnios! Antes de qualquer coisa, tenho dois "felizes" pra desejar à vocês: FELIZ #PotterDay o_/ e FELIZ HALLOWEEN! Eu, pessoalmente, acho que o dia 31 de outubro é um dos melhores dias do ano, sem dúvidas. Mas hoje estou aqui para falar sobre DOIS livros que quero ler que são terror/suspense, claro, para homenagear o Halloween <3

Bom, galera, o primeiro livro é Asylum, da autora Madeleine Roux. O livro tem 336 páginas e só essa capa me deixa meio assustada, pensando o que me aguarda aí dentro. Descori esse livro quando fui na Saraiva com minha amiga Alycia: ela achou ele e disse que estava com vontade de ler, pois parecia legal, e depois de ler a sinopse e ver umas fotos, eu adicionei na minha lista sem dúvidas! Ele é mais terror do que suspense, e eu nunca li nenhum livro de terror, então tenho vontade de experimentar esse gênero mesmo sendo meio cagona medrosa :v
Sinopse:
Para Dan Crawford, 16 anos, o New Hampshire College Prep é mais do que um programa de verão – é uma tábua de salvação. Um pária em sua escola, Dan está animado para finalmente fazer alguns amigos em seu último verão antes da faculdade. Mas, quando ele chega no programa, Dan descobre que seu dormitório para o verão costumava ser um sanatório, mais comumente conhecido como um asilo. E não apenas qualquer asilo — um último recurso para criminosos insanos. À medida que Dan e seus novos amigos, Abby e Jordan, exploram os recantos escondidos de sua casa de verão assustadora, eles logo descobrem que não é coincidência que os três acabaram ali. Porque o asilo é a chave para um passado terrível. E existem alguns segredos que se recusam a ficar enterrados.

O segundo livro é O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, do Ransom Riggs. O livro também tem 336 páginas acho que nem vou ler mais porque isso me assustou e eu descobri ele vendo os vídeos do canal literário da Michelle Borges (talvez eu faça um "Eu Indico sobre ela"). Ela sempre está recomendando esse livro e parece ser muito legal! Essa capa é em legal e tensa, mas a edição da Michelle é a em inglês, que também tem uma capa meio assustadora. Esse livro já não é tão terror,é mais um suspense macabro, mas já está na minha lista assim mesmo.

Sinopse:
Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, um romance inesquecível que mistura ficção e fotografia em uma experiência de leitura emocionante. Nossa história começa com uma horrível tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo ? por mais impossível que pareça ? ainda podem estar vivas. Uma fantasia arrepiante, ilustrada com assombrosas fotografias de época, O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares vai deliciar adultos, adolescentes e qualquer um que goste de aventuras sombrias.


Bom, galera, era isso. Espero que tenham gostado. Fiquem aguardando, porquê provavelmente domingo eu vou postar aqui as minhas maquiagens de Halloween. Até mais :*

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Cinema: O Profissional

E aí, gente! Cá estou eu novamente, nessa segunda-feira quente pra caramba, pra falar com vocês sobre filmes! E o filme da vez é O Profissional \o/
Gente, isso é um desenho. Dá pra acreditar? Estou completamente impressionada.
















Ficha Técnica:

Lançamento: 17 de fevereiro de 1995 (1h43min)
Dirigido por: Luc Besson
Elenco: Jean Reno (Leon), Natalie Portman (Mathilda), Gary Oldman (Stansfield), Danny Aiello (Tony).
Gênero: Policial, Drama, Suspense, Ação
Nacionalidade: França

________________________________________________________
Mathilda é uma menina de 12 anos que não se encaixa na sua família. Odeia todos, menos seu irmãozinho de 4 anos. Mas tudo muda durante uma ida ao supermercado para comprar leite. Mathilda, ao voltar para casa, se depara com toda sua família morta, e vai para a casa do vizinho, Léon. Porém, ela não sabia que ele é um pistoleiro, e ao descobrir, decide se tornar uma assassina para vingar a morte do irmão. A menina consegue dar um sentido à vida de Léon, e enquanto cuida da casa e ensina o pistoleiro a escrever, ele lhe ensina o básico de como manejar uma arma.

Galera, socorro! Ainda estou de queixo caído com o final desse filme. Eu já tinha passado por ele várias vezes no Netflix, mas nunca fiquei com aquela baita vontade de ver, Acontece que ontem, quando minha amiga veio dormir aqui e estávamos procurando um filme com um pouco mais de ação ou coisa do tipo, O Profissional pareceu super interessante e resolvemos assistir. Posso dizer que não me arrependo! É um filme em envolvente, e a história é muito boa. Pode ser meio sangrento em algumas partes, mas eu amei mesmo assim até porque gosto de filmes sangrentos :3.

Ainda consegui achar umas curiosidades na internet sobre esse filme:


  1. Natalie Portman foi inicialmente recusada para O Profissional, por ser considerada jovem demais. Ela tinha 11 anos na época das filmagens. Esse filme foi a estreia de Portman no cinema.
  2. O personagem Léon tem este nome em homenagem a Léon Gaumont, inventor que desenvolveu técnicas cinematográficas no século XIX. 
  3. Em 26 de junho de 1996, foi lançada nos cinemas franceses a versão do diretor de O Profissional, que tem 26 minutos extras.

É isso gente. Aqui embaixo vocês podem conferir o trailer de O Profissional. Espero que tenham gostado do post, e não esqueçam de deixar um comentário para tornar essa blogueira mais feliz! Até mais :*


PS: Me desculpem pelo trailer sem legenda! É difícil achar legendado o trailer de filmes mais antigos como esse.